sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Oficinas de Graffiti E.E. Herculano de Freitas


Nos dias 22, 23 e 24 de novembro 2016, o Coletivo Fora de Frequência realizou 3 (três) oficinas de graffiti com estudante da escola Herculano de Freitas, no bairro Jd. Alto da Riviera, distrito do Jd. Ângela, zona sul de São Paulo, iniciamos cada oficina com um breve dialogo sobre os temas de racismo, territórios indígenas na cidade de São Paulo, machismo, gênero e sexualidade.

Após dialogo inicial os educandos decidiram a proposta de cada arte e desenvolveram os painéis, que ficaram para serem expostos nos corredores da escola.

O evento foi produzido em parceria entre a escola Herculano de Freitas e Sociedade Santos Martires com participação d@s educand@s da escola e teve como objetivo, oferecer um primeiro contato d@s educand@s à algumas atividades (oficinas) e introduzir alguns temas escolhidos pel@s estudantes que não são tratados como deveriam em sala de aula, no intuito de se iniciar um projeto a longo prazo e se aprofundar em alguns temas durante o ano de 2017.      

                      
 








sexta-feira, 25 de março de 2016

Elemento Graffiti - Intervenção na Casa de Cultura Campo Limpo



Durante os dias 19 e 20 de Março, o Coletivo Fora de Frequência presenteou a Casa de Cultura Campo Limpo com uma intervenção de Graffiti na fachada.
 A Casa de Cultura do Campo Limpo fica localizada no entorno da praça na rua Aroldo se Azevedo, 100, e está com uma programação cultural eclética mantida num sistema colaborativo entre educadores, produtores culturais, militantes locais e a gestão do espaço.

 Com a renovação da gestão tendo a socióloga Anabela - a muito tempo atuante em diversas frentes na região - à frente do espaço, a casa e os produtores culturais locais tendem a se aproximar e, consequentemente, ganharem ainda mais força. 

 A Zona Sul de São Paulo, especialmente o Campo Limpo, é conhecidamente uma das regiões da cidade e do estado efervescente de manifestações culturais, sociais e artísticas diversas. E ter uma gestora local no espaço é fundamental para um melhor aproveitamento e potencialização da Casa de Cultura.
Com esse esforço de aproximação e colaboração mútua o espaço, os produtores e a cultura da região só têm a ganhar.

É satisfatório poder somar de alguma maneira nesse processo de renovação, fortalecimento e revitalização de um espaço, onde esperamos, a cultura local se aproprie, difunda e fortaleça ainda mais.